https://rockitsimple.blogspot.pt/search/label/Home%20Decor https://rockitsimple.blogspot.pt/search/label/V%C3%ADdeos Tu és o teu verdadeiro AMOR!https://rockitsimple.blogspot.pt/search/label/Fotografia https://rockitsimple.blogspot.pt/search/label/Love%20Food

quarta-feira, 13 de abril de 2016

Tu és o teu verdadeiro AMOR!



Acho que o melhor que a idade nos traz é mesmo a tranquilidade de sabermos muito bem aquilo que queremos, o que gostamos e as coisas para as quais não temos a mínima das paciências...
A mim, esta reta até aos 40 tem sido de algumas dualidades e batalhas, mas no fim acho que saio vencedora.

Nunca me senti tão bem como agora aos 37 anos, acho também que nunca fiz tanto por mim como agora.

Sempre fui cheia de inseguranças, embora passe sempre a imagem de miúda forte, radical e rebelde. E nunca fui tão confrontada com as minhas inseguranças e medos como nos últimos anos. Aprendi com algum suor e lágrimas, que ficar preso em inseguranças é a maior estupidez que podemos cometer. Porque no fim de contas, quem é que quer saber disso? quem se rala com isso?

A grande viragem veio com a mudança radical de alimentação e com a prática de exercício físico regular. Claro que isto é um bocado senso comum e mais do mesmo. Toda a gente sabe que uma alimentação equilibrada e exercício físico é o melhor que podemos fazer por nós. Mas a isso eu sublinho ainda: É MESMO, MESMO MESMO!!!

Muda tudo...muda a percepção de nós mesmos...muda a percepção dos outros de nós...muda o sentido de humor...muda a confiança...a força...o optimismo...o sorriso...muda-te a ti!
O melhor que faço é mesmo cuidar de mim, todos os dias , sem qualquer desculpa ou sentimento de egoísmo.

Seja exercício físico, seja um banho quente demorado, seja tratar do cabelo, da pele, seja qualquer coisa...mas seja algo todos os dias, por nós!

E se a motivação não vem por si só, que se procure inspiração noutros. Sou da opinião que ás vezes precisamos de um empurrão, de olhar para alguém e pensar que também gostaríamos de ser ou ter algo. Porque não? Se isso nos fizer mexer, então que seja.
E quem sabe nós nos tornamos nós exemplo de inspiração para alguém?